sexta-feira, 6 de maio de 2011

Serra da Pevide / Inactiva linha do Comboio!

Pois é, muitos de vós devem de estar de boca aberta, Serra da Pevide? Estes gajos estão completamente marados! “Os Fincadas BTT Juncal” deslocaram-se no passado dia 24-04-2011 à Serra da Pevide, para fazerem o deslumbrante passeio na antiga e inactiva linha do comboio.
Com um grupo bem constituído lá saímos do Juncal por volta das 9:00 horas em direcção à localidade Boieira e depois Pedreiras, para aproveitarmos para fazer toda a borda da serra dos Candeeiros, passando pela zona do circuito pedonal das Pedreiras até subirmos para a zona dos depósitos de água na Corredoura, e aí, entrarmos na inactiva linha do comboio e percorrermos parte da Serra da Pevide.

Esta inactiva linha do comboio que liga Porto de Mós à Bezerra e que perfura o coração da Serra da Pevide está em condições de circulação maravilhosas, o que leva muitos caminheiros e bttista a percorre-la, com vistas de perder no horizonte, são kms de deslumbramento e puro encanto.
Um pouco da história da existência desta linha.
Esta linha foi concebida essencialmente para escoar a principal matéria-prima extraída da também inactiva Mina da Bezerra, o Carvão, para as principais indústrias do distrito, mas essencialmente para a Central Termo-Eléctrica de Porto de Mós. (edifício praticamente em ruínas junto as novas piscinas municipais).
O fornecimento de matéria-prima (Carvão), à Central Termo-Eléctrica, dependia de uma linha férrea, que se estendia através de uma ponte de cimento e ferro, que permitia a entrada do carvão, extraído nas Minas da Bezerra, transportado por comboio, e depositado numa rampa afunilada, por onde se precipitava para o interior das fornalhas, para assim ser queimado e posteriormente gerar energia eléctrica para servir a população do concelho.
A Empresa Mineira do Lena dispunha dos direitos de exploração, que lhe permitiu a exploração das minas de carvão da Bezerra, no concelho de Porto de Mós desde 1740 a meados do século XX.
A antiga linha de caminho-de-ferro da Bezerra que, em outros tempos da história, serviu para o escoamento do carvão extraído das Minas da Bezerra, jaz agora, fragmentado em tímidos trilhos, no seio de uma paisagem natural belíssima.
A linha de caminho-de-ferro, que ligava as minas a Porto de Mós, apresentava um trajecto irregular que lhe permitia vencer a estrutura natural rigorosa da Serra da Pevide.
Depois deixamos a Bezerra em direcção a Porto de Mós por caminhos e trilhos no vale que vai sair perto da Ricel, são uns trilhos bastante rápidos e empedrados que requerem muito atenção e alguma técnica, ainda subimos a encosta em direcção ao Alqueidão da Serra, mas já no cimo da serra, descemos e voltamos para casa sempre em alcatrão, devido ao adiantar da hora e aos kms já percorridos.
Mais uma manhã muito bem passada pelos trilhos da nossa região e sempre em pura cavaqueira entre todos os atletas, pois é este o nosso espírito…

"Os Fincadas Btt Juncal"  



2 comentários:

  1. que inveja... tenho que aparecer para mandar umas fincadas...he heeee

    ResponderEliminar